As mulheres, a balada e as músicas

Recapitulação

Sexta-feira não dei as caras aqui no blog porque fiquei de cama. No calor que estava em São Paulo, tive a felicidade de pegar uma puta infecção na gengiva, com direito a 38,5 graus de febre, cisos atacando, tontura e tudo o que pode acontecer para estragar um fim-de-semana (se alguém foi no aniversário da Blue Space, por favor nos conte como foi, porque infelizmente perdi). Mas, mesmo com pouco juízo, estou de volta.

********************

Para todas as mulheres

Foi interessante ver em vários lugares do Brasil diversas travestis sendo homenageadas no Dia Internacional da Mulher. No Auditório da Câmara Municipal de Santo André, a ONG ABCDS premiou diversas travestis na comemoração. O objetivo foi de quebrar paradigmas e mostrar realmente a visão da mulher, sem necessariamente estar ligado à forma biológica.

marcellymalta.jpg

foto: reprodução

Já em Porto Alegre, uma das homenageadas foi a defensora dos direitos humanos de travestis e transexuais, Marcelly Malta (foto), presidenta da Igualdade – Associação de Travestis e Transexuais do Rio Grande do Sul.

Mas, continuo frisando. Comemorações e homenagens assim deveriam acontecer todos os dias, e não apenas uma vez ao ano.

********************

Falando em mulher

cynthianixon.jpg A atriz Cynthia Nixon, a Miranda de Sex and the City, deu uma entrevista na revista OK! Magazine contando os detalhes sobre seu relacionamento de quatro anos com sua companheira, Christine Marinoni. É sempre fantástico ver celebridades que não têm medo de abrir sua vida, seus detalhes, mesmo que possam ser muitas vezes detonadas pela mídia.

Cynthia conta na reportagem que seus filhos de um relacionamento anterior, que moram com as duas, sabem da relação com a companheira e se dão super bem com isso. Ela conta que uma das filhas tem um tio gay e duas avós lésbicas. A atriz até brinca sobre a filha “Que inveja, adoraria ter duas avós lésbicas”.

A DOM quer saber: você tem em sua família algum parente homossexual e/ou gostaria de ter?

********************

Inauguração com data marcada

Enfim, a casa noturna Megga, dos mesmos proprietários da Bubu Lounge, em São Paulo, irá inaugurar. No próximo dia 29 de março, um sábado, os 3 mil metros quadrados da Megga irão ficar lotados de todos os baladeiros que esperaram meses e meses por essa abertura.

Com capacidade para 3 mil frequentadores, o clube fica na Rua Aquiles Orlando Curtolo, 646, uma travessa da Av. Marquês de São Vicente (onde também fica a Flexx), na Barra Funda. Aliás, o bairro se fixa como o novo pólo de casas noturnas GLS, que já conta com a The Week, Blue Space e as friendly D’Edge e Clash.

A balada contará com um lounge e uma pista, onde irão tocar os djs Paulo Agulhari, Paulo Ciotti, André Medeiros e Gustavo Viana. A grande novidade fica por conta do coffee lounge, onde os frequentadores poderão tomar o café a partir das 5h da manhã.

Contagem regressiva: 19 dias.

********************

As músicas mais gays

abba.jpg

Dancing Queen, do ABBA: a música mais gay ever!

O site australiano SameSame, em homenagem à parada gay de Sidney, fez uma seleção através de seus leitos com as 50 músicas mais gays de todos os tempos.

O primeiro lugar ficou para Dancing Queen, do Abba, e o vice-campeão ficou com Village People, com o clássico YMCA. Já os astros Madonna, Pet Shop Boys, Kylie Minogue e Cher ficaram entre os 20 mais votados.

Confira a lista:

1. ABBA – Dancing Queen

2. Village People – YMCA

3. Gloria Gaynor – I Will Survive

4. The Weathergirls – It’s Raining Man

5. Kylie Minogue – Your Disco Needs You

6. Pet Shop Boys – Go West

7. Kylie Minogue – Better The Devil You Know

8. Olivia Netwon-John- Xanadu

9. Madonna – Vogue

10. Alicia Bridges – I Love The Nightlife

11. Gloria Gaynor – I Am What I Am

12. Cher – Believe

13. Diana Ross – I’m Coming Out

14. Bronski Beat – Smalltown Boy

15. Judy Garland – Over The Rainbow

16. Village People – Macho Man

17. Frankie Goes to Hollywood – Relax

18. Village People – In The Navy

19. Coming Out Crew – Free, Gay and Happy

20. Dolly Parton – 9 to 5

Uma resposta to “As mulheres, a balada e as músicas”

  1. Pedro Paulo Maia Says:

    bom espero que vc tenha melhorado, acho que nao tenho nenhum parente gay, pelo menos que eu saiba. realmente abba eh mto gay.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: