A polêmica, a capa, as luzes e a pesquisa

Um beijo muda tudo?

Em uma segunda-feira extremamente chuvosa em São Paulo, quero começar meu post de hoje com uma pergunta: um beijo gay em rede nacional pode mudar alguma coisa para a comunidade homossexual do país? Pergunto isso porque muitos já me questionaram por eu não ter postado no blog sobre o “beijo” (leia, selinho bem do murcho) gay dado pelo personagem Benny, da minissérie global Queridos Amigos, umas duas semanas atrás. A reclamação desses leitores foi discutida aqui na redação sexta-feira passada.

Muita polêmica é criada em torno do beijo gay na televisão brasileira. Nos último anos, as novelas têm apresentado uma mudança no reconhecimento do gay. Na novela Torre de Babel, na década de 90, as lésbicas Rafael e Léia explodiram junto com o shopping center por conta da rejeição de seus personagens. Em Mulheres Apaixonadas, o casal também lésbico Clara e Rafaela já foi mais aceito pelo público, mas no final deram apenas um selinho durante uma cena de interpretação das personagens na peça Romeu e Julieta.

Em América, o beijo gay de Junior, personagem de Bruno Gagliasso, foi gravado, porém cortado no último capítulo. Já em Páginas da Vida, nem foi pensado no beijo do casal gay da trama. Mas, o que gostaria de entender é: por que as pessoas pensam que um beijo gay mudaria tudo? Sim, a televisão tem um poder muito forte perante a sociedade e suas percepções, mas será que na questão homossexual as coisas podem mudar mesmo?

Ontem, durante o Domingão doFaustão, o ex-BBB Marcelo (que, aliás, quer ser escritor de novelas, causando a fúria de muitos profissionais dentro da emissora) falava livremente sobre sua orientação sexual em rede nacional, às 5 horas da tarde. Dez anos atrás, talvez não víssemos isso.

Porém vale lembrar que nos EUA não é muito difícil ver beijos gays na televisão, nos mais variados horários e programas. E, mesmo assim, continua o preconceito na sociedade.

Resolvi escrever esse post por conta de uma imagem (abaixo) que encontrei na net este fim-de-semana e que confesso não me recordava. Ela faz parte do videoclipe da música Obrigado, Não!, da cantora Rita Lee, exibido no Fantástico. Você sabe quando foi passado? Pasmem: em 1997. Sim, a Rede Globo já havia exibido um beijo gay (com direito a muita língua) em horário nobre na televisão há mais de 10 anos.

clipritalee.jpg

Talvez as pessoas não se lembrem, mas aconteceu. Pergunto: mudou alguma coisa?

Veja o clipe da música:

********************

Enfim, a capa

capacdmadonna.jpg

Foi divulgada a capa do novo cd de Madonna, que será lançado no dia 29 de abril. O figurino da foto é o mesmo usado em um ensaio que a cantora fez recentemente para a revista Interview. O que acharam?

********************

Com todas as luzes

Este fim-de-semana fui com meus amigos na Bubu Lounge, em Pinheiros. E a casa está com uma novíssima e incrível iluminação. Além de novos lasers e focos de luz por toda a pista, o palco agora conta com um painel com milhões de leds em toda a largura da mesa do DJ que mudam de cor e formam figuras de acordo com a música. Está incrível. É de deixar qualquer um vesgo.

Tirei as fotos (completamente amadoras, com meu celular) para mostrar para vocês. Na segunda foto, no palco estão as drags Thália Bombinha, Silvetty Montilla e Léia Bastos (aliás, adorei ler o que o Valmir escreveu em seu último post).

bubu1.jpg

bubu2.jpg

********************

Números do preconceito

A agência Nova S/B, em parceira com o Ibope, realizou uma pesquisa sobre o preconceito no Brasil. Foram entrevistadas 1.400 pessoas e o resultado obtido demonstrou que ainda há muito preconceito na sociedade. Cerca de 33% das pessoas que responderam à pesquisa disseram que se afastariam de um amigo se descobrissem sua homossexualidade.

Em relação ao respeito aos homossexuais, a pesquisa calculou a incoerência nas respostas dos entrevistados, que variou entre o valor teórico e o comportamento real diante das situações. Entre os resultados obtidos, 42% deram a si próprios notas 9 e 10 quanto ao respeito aos gays (sendo 1 oposição total e 10 adesão total ao tema).

Porém, quando colocados em prática, ficou provado que 54% das pessoas mereceram notas de 1 a 5, 33% de 6 a 8 e somente 10% notas de 9 a 10.

3 Respostas to “A polêmica, a capa, as luzes e a pesquisa”

  1. pedro paulo maia Says:

    realmente nao acho que um beijo no horario nobre mude alguma coisa, eu acho que quando as pessoas desencanarem disso talvez começe uma mudança.
    a capa do cd eh meio xoxa, sei lah antigamente as capas de disco eram melhores, os fotografos tinham que se esforçar para ter uma boa ideia e realizar o trabalho. hoje qualquer foto photoshopada serve.
    eu jah tinha lido essa pesquisa no jornal o globo semana passada, nada nela me surpreendeu, só confirmou que o povo brasileiro eh hipocrita.

  2. Laio Realengo Says:

    Adorei a história do clipe da Rita Lee, ela realmente é uma mulher a frente. Pena que realmente as pessoas tenham esquecido que este beijo tenha acontecido. Não sei se mudará alguma coisa mas talvez de pois do primeiro beijo haja um segundo e quem sabe um dia as pessoas se acostumem em ver duas pessoas do mesmo sexo namorando em público. Sem a hipócrisia de falar sobre afetar a educação das crianças. Aliás o que afeta a edução de todos o preconceito indiscriminado.
    Gostaria de ver a pesquisa completa dados como este são muito bons para saber com que público está se lidando. As pessoas querem parecer boazinhas mas na verdade são só humanas e frutos de uma cultura homofóbica.

  3. “Ainda vai levar um tempo[…]assim caminha a humanidade, com passos de formiga e sem vontade”

    O beijo em rede nacional serviria para chocar…seria um atrativo…mas não mudaria nenhuma situação…assim como no clip e em outras situações..nada foi mudado…efeito passageiro e nada concreto…

    Mas a Globo tem ousado. Acredito que seja um ponto positivo a questão do texto na novela Duas Caras. Onde as pessoas dão nomes distintos para gay (Baitola, viadinho, boiola, bambi e etc). Acredito que mais que preconceito, trata-se de uma certa desmistificação, popularização, para que se quebre o tabu de mencionar a palavra gay.
    E Viva a diversidade!

    Bons ventos
    :-]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: