Por quem os sinos dobram

Por: Jorge Tarquini

Quando entrevistei André Almada para a DOM #3, uma frase dele me chamou a atenção (e não só a minha, como pude constatar depois da publicação): “Gay é muito ego”. Me impressionou tanto que virou o destaque na capa da edição. Muitos leitores discutiram essa frase nos blogs, no orkut e em mensagens para a redação.

Passado o impacto inicial, e neste espaço do blog, feito exatamente para as pessoas da redação se expressarem (não em nome da DOM, mas como pessoas que fazem a DOM), me sinto à vontade para comentar: concordo em gênero, número e grau. Não sou afeito a generalizações, mas não posso, igualmente, me furtar de notar as exceções que confirmam a “regra” (ou os exemplos que, mesmo sem ser regra ou exceção, se mostram sólidos como uma rocha).

Desde que começamos a fazer a DOM, percebemos que, de um modo ou de outro, a declarada celebração da diversidade não vale para todos. Muito foi dito sobre a DOM, sobre as pessoas que fazem a DOM, sobre as edições da DOM. No lugar do acolhimento, vimos desdém. No lugar da diversidade, vimos uma certa tirania. Não somos os donos da verdade, não queremos ser. Mas tampouco esperávamos ser alvo do que alguns mostram ser a única coisa que possuem: ego.

7 Respostas to “Por quem os sinos dobram”

  1. Concordo plenamente. Fiquei impressionado com a sinceridade do André Almada, que por motivos óbvios deveria se preocupar em agradar o público da The Week, e ainda assim disse muito do que é evidente em muitos gays. Já fiquei muito frustrado com as demonstrações de preconceito e intolerância de muitos homossexuais, sobretudo evidenciando suas dficuldades de auto-aceitação, rejeição e até mesmo a discriminação de bissexuais – “Se vc quer fazer a linha bi o problema é seu, mas isso não existe”.

    Parabéns pela revista tão bonita (e espero que cada vez mais reflexiva e politizada)!

  2. Concordo. Faltava dizer isto e vindo do André e do Jorge a coisa toma uma profundidade maior. Gay é muito ego, sim. Acho que muitos gays sofrem de baixa auto-estima e, por isso, ficam descontando nas pessoas e nas coisas o seu rancor, sua frustração e sua incapacidade de dar a volta por cima. E, para compensar esta baixa auto-estima, ficam usando de uma sinceridade para magoar ou ficam destratando as pessoas por este ou por aquele motivo. Falta conteúdo e sobra embalagem em muitos gays. Não se deve admitir que as pessoas se façam de vítima por causa do preconceito que sofrem. Todo mundo tem motivo para estar revoltado com alguma coisa. O mundo está aí para ser conquistado e somente os fortes prevalecem e são felizes. Parabéns André e Jorge pela coragem que tiveram. Concordo com vocês.

  3. Eu também não gosto muito das generalizações. Mas, é estranho admitir isso… gay não sabe viver sem palco e pedestal. Todos são os melhores em alguma coisa: um é o melhor cabeleireiro, o outro tatuador, o outro drag queen, e assim por diante. Nossa sociedade valoriza a ‘xoxação’. Está em alta ser alguém, ser famous, rich and glamourous. E fazemos tudo isso por quê? É o tal ego. Até quando alguém resolve criar uma boate cujo slogan é “Mundo Perfeito”. O que é mundo perfeito? Quem faz o seu mundo perfeito? Sei lá, complexo isso!

  4. Galera desculpa minha falta de criatividade mas gostaria de fazer meu comentario em cima de 2 frases, que na minha opinião, forão muito bem colocada.
    …”O mundo está aí para ser conquistado e somente os fortes prevalecem e são felizes”…
    Ao meu ver Forte naum é o mais bonito, o mais aparecido, e sim aquele que tem tudo (conceito, conteudo, carater, …) para se manter a frente daquilo que é seu proposito!
    …”gay não sabe viver sem palco e pedestal”…
    Será mesmo que o Melhor, é aquele mais visto??? Acho que melhor mesmo é aquele que faz o que tem de ser feito sem atacar algo ou alguem e tem sua visualização alcançada por proprio mérito!!
    Assim como a DOM tem feito, conquistando seu público por seu conteudo interessante, sem precisar “xoxar” nada, ou ninguem!!!
    dickboy10@hotmail.com

  5. Jonathan Says:

    Também concordo, a entrevista com o André nos faz refletir sobre nossas atitudes,e colocou o dedo na ferida. E isso é feito de uma forma exemplar na DOM.

  6. Laio Realengo Says:

    Cada que ter o leque maior que o outro.
    A cada dia que passa gosto mais da revista e dos temas. Temos que cutucar a ferida mesmo para poder curá-la. Não adiantar fingir que está tudo bem no mundo rosa. A diversidade tem que ser respeitada para que todos possamos crescer como seres humanos independentemente da orientação sexual.

  7. Gente, isso ta parecendo conversa de mariquinha. Ser gay é humano, é isso. Vamos fazer a diferença discutindo politica, arte, beleza, sexo…
    Nos somos tão prepopentes que esquecemos que os heteros são assim tambem egocentricos e gostam de um pedestal de uma xoxação, minha irmã mesmo vive xoxando o marido da outra dizendo que o pau dele é pequeno.Vamos discutir o desmatamento da Amazonia, bando de moninhas adolescentes…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: