A Idade de Ser Feliz

Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.

É com esse pensamento que vou festejar mais uma primavera, como a estréia de um dos filmes mais esperados do ano (ao menos pelos fãs)…

SEXO, PODER e GLAMOUR…porque isso é básico!!!

Beijo, bom fim de semana e vamos pra festa!!!!!!

4 Respostas to “A Idade de Ser Feliz”

  1. Muita felicidade p tu, meu querido!
    Muito sexo, poer e glamour….heheheheh

    Te adoro Zeeeeh!

    bjao

  2. Depois de um bonito e profundo texto sobre o melhor momento para se ser feliz o colunista apresenta-nos um filme chamado ” O sexo e a cidade”. É muita alienação. Abre com chave de ouro e fecha com um nada. Parece ser muito vazia a mente deste cara, deste tal de Zéh. Dizer que o que importa é muito sexo, poder e glamour é opinião de quem vive num microcosmo e parece não enxergar um palmo além do nariz. Vá abrir esta mente, cara! E o pior é que acaba influenciando a opinião de muitos gays. É muita falta do que escrever. É puro desperdício de um espaço no site. Será que você tem a real noção da besteira que escreveu? O que importa é muita lucidez, cara. Seu texto depõe contra a imagem da Revista Dom, pois é lamentável saber que é esta a mente de uma das pessoas que fazem a revista. Só tenho a lamentar.

  3. Adorei o texto!
    bom fim d semana a todos

  4. Laio de Realengo Says:

    Ultimamente venho me questionando se a revista tem me acrescentado alguma coisa. Lópgico tem informações muito bacanas. Porém não sei se quero tanta futilidade para minha vida. Não sei se ser é gay é ser fútil, não quero me tornar inútil.
    Recebi a Men’s Health desse mês e vi que é uma revista que está entendendo a necessidade de seus leitores dando dicas de como se comportar no emprego para ascender profissionalmente ou até mesmo como um homem solteiro pode se virar quando sai de casa. Coisas que faltam na DOM. Glamour é uma coisa tão efêmera que não sei se só quero ver as tendências da coleção tal com preços absurdos que nunca poderei ter. Quero mais que isso . Quero fazer diferença como eu sou não como sonho de consumo ou coisa parecida.
    Desculpe se o texto está confuso, é só um desabafo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: