Possibilidade

Oi! Vou ser breve porque estou piradinha aqui com uma matéria MUITO demais (quem viver, verá! hihihi). Isso acabou de cair em minhas mãos – para o meu deleite, diga-se – e não pude me conter: nas entrelinhas o que se lê é o quanto há de POSSIBILIDADE nas coisas. Quanto há de novos e criativos caminhos, desde que nos inclinemos a isto.
Aproveitem ao máximo o texto abaixo. Amanhã é quinta-feira, dia 19 de junho de 2008, século 21, lua cheia: me parece um ótimo dia para você fazer diferente, reconhecendo suas possibilidades e sua luz.
Boa noite!

Taís Lambert

É possível sim

Sem nenhum tropeço posso escrever o que quiser sem ele, pois rico é o português e fértil em recursos diversos, tudo isso permitindo mesmo o que de início, e somente de início, se pode ter como impossível. Pode-se dizer tudo, com sentido completo,mesmo sendo como se isto fosse mero ovo de Colombo.

Desde que se tente sem se pôr inibido pode muito bem o leitor empreender este belo exercício, dentro do nosso fecundo e peregrino dizer português, puríssimo instrumento dos nossos melhores escritores e mestres do verso, instrumento que nos legou monumentos dignos de eterno e honroso reconhecimento.

Trechos difíceis se resolvem com sinônimos. Observe-se bem: é certo que, em se querendo esgrime-se sem limites com este divertimento instrutivo. Brinque-se mesmo com tudo. É um belíssimo esporte do intelecto, pois escrevemos o que quisermos sem o “E” ou sem o “I” ou sem o “O” e, conforme meu exclusivo desejo, escolherei outro, discorrendo livremente, por exemplo sem o “P”, “R” ou “F”, o que quiser escolher, podemos, em corrente estilo, repetir um som sempre ou mesmo escrever sem verbos.

Com o concurso de termos escolhidos, isso pode ir longe, escrevendo-se todo um discurso, um conto ou um livro inteiro sobre o que o leitor melhor preferir. Porém mesmo sem o uso pernóstico dos termos difíceis, muito e muito se prossegue do mesmo modo, discorrendo sobre o objeto escolhido, sem impedimentos. Deploro sempre ver moços deste século inconscientemente esquecerem e oprimirem nosso português, hoje culto e belo, querendo substituí-lo pelo inglês. Por quê?

Cultivemos nosso polifônico e fecundo verbo, doce e melodioso, porém incisivo e forte, messe de luminosos estilos, voz de muitos povos, escrínio de belos versos e de imenso porte, ninho de cisnes e de condores. Honremos o que é nosso, ó moços estudiosos, escritores e professores. Honremos o digníssimo modo de dizer que nos legou um povo humilde, porém viril e cheio de sentimentos estéticos, pugilo de heróis e de nobres descobridores de mundos novos.

Autor: Desconhecido.
Observação: Este texto não contém a letra “A”

4 Respostas to “Possibilidade”

  1. Augusto Lins Soares Says:

    MUUUUUUUUUUUUUUUITO BOM!
    Bjs

  2. muito foda

  3. Ou seja, às vezes aquilo que pensamos e dizemos ser essencial e imprescindível na verdade pode não ser. É possível viver de outro modo uma vida que, até o momento, julgamos pronta e acabada. Aliás, pensar que uma vida está pronta e acabada é pura presunção.

  4. pedro paulo maia Says:

    mto bom o texto. to tomando coragem pra tirar coisas que eu sei que nao sao impresindiveis a minha vida mas que por habito uso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: