Use seus direitos

cartazparadagaycontraahomofobia1

Na semana passada, a prefeitura do Rio de Janeiro colocou em vigor, através de um decreto, duas leis que determinam a punição contra qualquer ato de discriminação praticado com pessoas por conta de sua orientação sexual. A medida visa controlar a homofobia em estabelecimentos comerciais, como bares e restaurantes, onde casais homossexuais muitas vezes são impedidos de namorar a vontade.

Segundo as leis, as multas contra os infratores começam a partir de R$ 2.290 e os estabelecimentos podem receber suspensão de funcionamento e até cassação do alvará.

O Estado de São Paulo foi pioneiro nesta luta “legal”, e desde 2001 há também algumas medidas semelhantes que proíbem a discriminação. Outra cidade que também conta com o apoio das leis é Recife, onde desde 2002 está em vigor Lei Nº 16.780/2002, que proíbe a discriminação contra gays que expressem afeto em público.

Esse fato me lembrou uma situação que preconceito que eu vivenciei quando tinha por volta de 16 anos. No shopping Tatuapé, na Zona Leste de São Paulo, em todas as segundas-feiras acontece um tradicional encontro GLS, aonde as pessoas vão para conversar, paquerar e se divertir. Geralmente elas ficam na praça de alimentação do shopping conversando, sem nenhum problema.

Certa vez, resolvi conhecer o encontro e fui com uma turma de amigos. Estávamos em umas 10 pessoas e como não sabíamos exatamente onde era o local, sentamos em uma parte qualquer da praça de alimentação. Alguns minutos depois veio um segurança dizendo que encontros “desse gênero” estavam proibidos no shopping. Eu, revoltado, disse “desse gênero o que?”. Então ele ficou todo sem graça e mudou o teor da conversa: “Para vocês ficarem na praça de alimentação é necessário consumir algo!”. Não me conformei com aquilo e disse “então você vai ter que tirar aquele homem ao lado que está beijando a namorada dele, afinal eles não estão consumindo nada também”.

Depois de muita confusão, de quase o gerente do shopping ser chamado e todos começaram a ficar bastante irritados, resolvemos sair dali, pois não aceitávamos aquilo. Na hora, não pensei em ir em frente contra aquele ato de preconceito. Eu estava no meu direito de meu reunir com amigos na praça de alimentação, como qualquer grupo de amigos heterossexuais poderia fazer. Mas, talvez, por ter medo da exposição, resolvi me calar diante à discriminação. Se a cena acontecesse hoje, bem mais experiente e sabendo dos meus direitos, talvez o desfecho fosse bastante diferente.

Você já passou por alguma situação semelhante? Já usou seus direitos para contestar algo? Vocês usaria claramente essas medidas aprovadas em São Paulo, Rio de Janeiro e Recife sem ter medo?

2 Respostas to “Use seus direitos”

  1. Ronaldo Souza Says:

    Acredito não ter passado por nada semelhante, mas tentaria da melhor maneira lidar com a situação. Não sei se brandiria pelos meus direitos, mas sem dúvida não permitiria que me tratassem como algum infrator.

  2. Na realidade o certo seria usar nossos direitos, isso é fato.
    Mas na realidade todos temos medo, é como se o pré conceito fosse uma coisa vinda de nós mesmo, quando não conseguimos mostrar o que realmente queremos saimos assim como todos os outros.
    Isso que precisa mudar primeiro, os gays se aceitar de fato, para logos depois correr atrás dos diretos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: